Lagoa Santa registra aumento de média móvel de COVID-19

De acordo com o Secretário de Saúde de Lagoa Santa, Gilson Urbano de Araújo, nos últimos dias foram observados esse aumento de casos que eram previstos em decorrência do processo de flexibilização das cidades vizinhas e pelas características de Lagoa Santa de receber muitas pessoas nos feriados e finais de semana. “A estatística apresenta um número bastante alto em termos percentuais. Isso é porque os números estavam muito baixos anteriormente, devido a importantes intervalos de fechamento e isolamento social. Quando houve a flexibilização, a cidade tem recebido muitos turistas”.

Informações retiradas dos boletins epidemiológicos mostram uma mudança no perfil dos contaminados no último mês. São na maioria pessoas com menos de anos e do sexo masculino. Um exemplo é o boletim do dia de novembro que apresentou novos casos, desses, apenas três são de idosos. O restante são idades entre anos e anos.

O reflexo disso, segundo Urbano é que os jovens têm buscado mais atividades que antes estavam restritas como ida a bares, frequência a shoppings e cachoeiras. “Além disso, as atividades de comércio têm aumentado as vagas temporárias de trabalho, tivemos um aumento de jovens à procura de empregos e esse fator leva-os a usar mais os transportes públicos”.

Outro fato destacado pelo secretário é que a população no geral tomou uma atitude considerando que a pandemia havia acabado. “Essa tem sido uma das dificuldades nos estados e municípios de conscientizar a população que ainda estamos em uma situação de emergência para a saúde pública”. Ele completa que no período eleitoral, devido à lei, as redes de comunicação de Lagoa Santa e demais municípios foram retiradas do ar e isso dificulta ainda mais a comunicação com a população em geral.